Quem somos

O Observatório EUROACE é apresentado como uma ferramenta útil para a divulgação e troca de experiências de cooperação e investigação transfronteiriças no contexto da Eurorregião Alentejo-Centro-Extremadura.

O mesmo está constituído por uma série de recursos humanos e técnicos destinados à inquirição, registo, descrição, acompanhamento, divulgação e execução de todas as iniciativas de cooperação ou de investigação transfronteiriças, sejam promovidas por agentes públicos (administrações, universidades, agentes sociais…) ou por privados (associações empresariais, organizações sem fins lucrativos, particulares, etc.).

O Observatório conta com uma base de dados na qual são recolhidos tanto os contactos de pessoas que desenvolvem alguma actividade no âmbito da cooperação transfronteiriça (investigadores, técnicos de administrações, responsáveis políticos em matéria de cooperação…), como os dados de actuações (investigações conjuntas ou transfronteiriças, projectos em desenvolvimento, actividades de divulgação ou difusão – conferências, congressos, seminários…), visando deste modo, um maior intercâmbio e conhecimento mútuos entre todos os agentes que estão a trabalhar actualmente no âmbito da cooperação transfronteiriça dentro da EUROACE.

Os nossos objectivos

Detectar, identificar, localizar, registar e descrever todas ou a maior parte das investigações e recursos materiais e humanos existentes na Eurorregião referente à temática transfronteiriça.

Fomentar o intercâmbio de conhecimentos, de experiências e de resultados da cooperação e da investigação entre as administrações, os grupos de trabalho ou de investigação, assim como entre as instituições públicas, organizações não governamentais e empresas privadas implicadas.

Promover o desenvolvimento de novas linhas de trabalho cooperativo, tal como fomentar a consolidação dos grupos de investigação que desenvolvem a mencionada actividade investigadora no âmbito da cooperação transfronteiriça.

Divulgar os resultados das distintas investigações e recursos transfronteiriços aos diferentes foros especializados (universidades, institutos de investigação, etc.), aos gestores públicos, assim como à sociedade em geral.